Pros
  • Processador A15 Bionic
  • Novo design é muito melhor
  • Câmera com Palco Central
Contras
  • Tela LCD de 60Hz
  • Só uma câmera traseira
  • Bateria podia durar mais

Testei nos últimos meses o iPad Mini 6 (ou de 6a geração), lançado em setembro do ano passado ao lado com a linha iPhone 13. Sem muitas expectativas iniciais com o pequeno tablet da Apple, acabei muito bem surpreendido, e ele é uma das minhas primeiras opções na hora de acessar a internet, ler quadrinhos ou livros, usar redes sociais e assistir a vídeos rápidos no YouTube ou TikTok.

Com o iPad Mini, eu só tive outra experiência, com o segundo modelo. Mas, apesar de ter sempre gostado bastante desse formato tablet, acabava deixando ele de lado para usar um iPad maior, o notebook ou o computador.

publicidade

Acontece que, com a nova geração, não sinto mais isso. Isso se explica pela grande evolução de hardware com a inclusão do A15 Bionic, mesmo processador dos novos iPhones. Ele simplesmente entrega um desempenho absurdo, e faz todo o sentido usá-lo cada vez mais no dia a dia, seja para trabalho ou para lazer. 

Frente do iPad Mini 6
Frente do iPad Mini 6 / Foto: Mario Kurth/Olhar Digital

Outro motivo para gostar muito do iPad Mini 6 é o seu design renovado, com uma tela maior que a das gerações anteriores, mas um formato menor na altura. Além disso, ele tem uma espessura praticamente igual, mas é mais leve, o que facilita a pegada com uma das mãos.

Essa mudança radical de design era muito esperada pelos fãs da linha iPad Mini. Até o ano passado, a Apple mantinha o visual do modelo original, apresentado em outubro de 2012. Em pouco tempo, o novo iPad Mini conquistou seu espaço nos meus hábitos diários, e pouco a pouco, se transformou em um dispositivo essencial. 

O iPad Mini tem quatro opções de cores, cinza espacial, rosa, roxo e a que testamos, estelar, com um tom dourado.

Review do iPad Mini 6 em vídeo

iPad Mini 6 com A15 Bionic tem um excelente desempenho

Vamos começar pelo maior destaque desse tablet, o desempenho do A15 Bionic. Sua GPU é de 5 núcleos, ou seja, a mesma usada nos modelos Pro da linha iPhone 13, e não a de GPU de 4 núcleos do iPhone 13 e 13 Mini.

Com esse processador, jogos e apps rodam perfeitamente, e é sempre muito agradável usar o novo iPad Mini. Chega a ser quase um exagero um tablet com um processador desse nível, mas isso só facilita a vida do usuário, que pode trabalhar ou jogar com uma performance realmente excelente.

O processador é acompanhado por 4 GB de RAM, e o iPad Mini 6 tem versões de 64 GB ou 256 GB, que foi a que testamos. Pois é, ficou faltando um meio-termo nas opções de armazenamento. A versão 5G conta com o modem X60 da Qualcomm.

Design é um dos pontos fortes do iPad Mini 6

Traseira do iPad Mini 6
Traseira do iPad Mini 6 / Foto: Mario Kurth/Olhar Digital

O design do novo iPad Mini é bem bonito e parece muito sólido com seu case em alumínio. Ele é tão agradável aos olhos, que na maior parte das vezes você vai querer usá-lo sem a capa, só para admirar o visual. 

Como citei, ele segue a mesma linha de design da linha iPhone 13, e assim o seu case de alumínio  tem bordas retas e cantos curvos. O iPad Mini tem uma versão com conectividade 5G, mas não conta com acesso a redes mmWave, pelo menos nessa geração, não que isso vá fazer muita diferença hoje.

Os botões de volume ficam na parte de cima, levados para lá para deixar a lateral direita disponível para o Apple Pencil de 2a geração (que infelizmente eu não testei). Os botões acompanham a orientação da tela, assim se você girar o iPad, o botão que estiver em cima vai seguir aumentando o volume, e o debaixo diminuindo. 

Parte superior do iPad Mini 6 com Touch ID, caixas de som e botões de volume
Parte superior do iPad Mini 6 com Touch ID, caixas de som e botões de volume / Foto: Mario Kurth/Olhar Digital

O Touch ID foi reposicionado do extinto botão home para o botão de ligar, também na parte de cima. Ele funciona bem, mas recomendo você cadastrar vários dedos, pois em alguns momentos, vai pegar o Mini por outra posição, e isso pode ser útil. 

O iPad Mini é leve e compacto o suficiente para ser usado com apenas uma das mãos tranquilamente. Seu modelo Wi-Fi pesa 293 gramas, e a versão 5G é só um pouco mais pesado, com 297 gramas.

Tela LCD tem ótimo brilho e cores, mas taxa de atualização é de 60Hz

iPad Mini 6 com case Folio
iPad Mini 6 com case Folio / Foto: Mario Kurth/Olhar Digital

O iPad Mini tem uma tela LCD com ótima resolução (2266 por 1488 pixels), além de suporte a cores DCI-P3 e brilho de até 500 nits. Apesar disso, ela poderia ser melhor, já que tem uma taxa de atualização de apenas 60Hz, o que acaba fazendo a diferença, assim como no iPhone 13. 

Esse compromisso feito pela Apple buscou não elevar ainda mais o preço do tablet, mas é uma pena. O mercado de tablets tem concorrentes com telas de 90Hz e 120Hz, mas o Mini mesmo com um processador tão poderoso, segue com tela de 60Hz. Por falar nisso, existe um boato de que a Apple vá lançar um iPad Mini Pro com uma tela de 120Hz ainda esse ano. 

Jogar no iPad Mini é ótimo, mesmo com a taxa de atualização de 60Hz. Podia ser melhor? Sim, mas isso não faz tanta diferença na maior parte das tarefas do dia a dia.

Câmera com Palco Central

A câmera frontal de 12 MP do iPad Mini tem abertura F/2.4 e um ângulo de 122 graus, e assim como a do iPad de 9a geração apresentado com ele em setembro, conta com o recurso Palco Central, ou Central Stage. Com o Palco Central, o iPad aproveita a resolução da câmera para focalizar e manter o usuário sempre em quadro, mesmo que ele se mova para os lados.

Esse é um recurso muito útil para esses anos de pandemia, com a qual todos nós tivemos que mudar nossos hábitos e participar de muitas chamadas em vídeo. Esse mesmo recurso é usado pela Amazon na nova geração do Echo Show (leia nosso review aqui), e fica a nossa torcida para seja também incluído nos futuros iPhones 14, que chegarão esse ano.

Selfie tirada com o novo iPad Mini
Selfie tirada com o novo iPad Mini / Foto: Nick Ellis

Por padrão, a câmera frontal abre com o zoom aplicado, mas com um toque, ou o movimento de pinça com os dedos, você aproveita todo o ângulo de captura da câmera ultrawide, excelente para tirar selfies de grupos, por exemplo. Essa câmera grava em 1080p com até 60 fps.

Câmera traseira de 12 MP grava vídeos em 4K

Também vale citar que a câmera traseira foi melhorada, e passou de 8 MP para 12 MP. Além disso, ela tem uma abertura menor (F/1.8) e ganhou um flash LED. Com ela, o iPad Mini 6 grava vídeos em 4K com até 60 fps. A câmera tem uma pequena elevação em relação ao corpo do iPad Mini, mas nada que chame muita a atenção. Com a capa Folio, ela fica precisamente encaixada.

Foto tirada com o novo iPad Mini
Foto tirada com o novo iPad Mini / Foto: Nick Ellis

Essa câmera não tem o Modo Retrato e nem os modos noturno ou cinema, todos presentes no iPhone 13. Mas, mesmo assim, é possível tirar boas imagens durante o dia, com ótimas cores e HDR. Mesmo de noite, ela tira boas fotos, desde que os ambientes não estejam muito escuros. É uma câmera que funciona para tirar fotos simples, mas o que importa mesmo nesse novo pequeno iPad é a sua câmera frontal.

Confira outras fotos tiradas com a câmera principal do iPad Mini 6.

Foto tirada com o novo iPad Mini
Foto tirada com o novo iPad Mini / Foto: Nick Ellis

Foto tirada com o iPad Mini 6
Foto tirada com o iPad Mini 6 / Foto: Nick Ellis

Bateria recarrega com 25W, mas dependendo do uso, não dura o dia todo

Além da taxa de atualização e do preço, o único problema que encontrei nesse tablet foi a sua autonomia, mas isso é compreensível pelo seu tamanho, espessura e peso. A bateria é a mesma do modelo antigo, com capacidade de 5124 mAh. Dependendo do que você está fazendo, o consumo é visível. Quem realmente usar o tablet durante o dia, vai precisar de uma tomada antes da noite. 

Mas, é claro, isso varia muito dependendo dos hábitos dos usuários. Eu testei o novo iPad Mini por muitas horas, muitas vezes com um chip 5G instalado, mas muitas pessoas farão um uso bem mais casual do dispositivo. De qualquer forma, o carregamento da bateria do iPad Mini é rápido, com até 25W, e a Apple manda um carregador de 20W na caixa.

iPad OS 15 no iPad

O iPad Mini conta com todas as novidades do iPad OS 15 como os widgets e a divisão de tela que são bem úteis em um tablet. Com o A15 Bionic, seu desempenho é perfeito, tanto em apps quanto em jogos. Apesar disso, nem tudo é perfeito, e existe um problema que me incomodou um pouco no iPad OS rodando no novo iPad Mini.

No menor dos iPads, todos os ícones parecem pequenos demais, mas isso é algo que pode ser facilmente ser resolvido. Basta ir nas configurações da tela de início e dock, e escolher os ícones de apps maiores. O que não dá para tirar é a borda que fica em volta deles, ao redor da tela. Isso é algo que pode até fazer sentido nos modelos de telas maiores, mas não no iPad Mini, pelo menos na minha opinião.

O resultado é que nós usuários ficamos com menos espaço disponível na tela, e os ícones parecem apertados. Da mesma forma, os widgets parecem menores do que deveriam ser, assim como o Picture-in-Picture de vários apps.

Seria lógico que o Picture-in-Picture tivesse um modo que ocupasse a largura inteira da tela na vertical, mas esse não é o caso. Não chega a ser um problema, já que o usuário acaba se acostumando, mas a Apple poderia ao menos dar a opção de diminuir as bordas especificamente nesse dispositivo. Felizmente isso é fácil de resolver com uma atualização, fica aqui a torcida para isso acontecer um dia.

Apesar de não ser muito grande, a tela pode ser dividida em duas na vertical. Isso é ótimo para quem gosta de rodar vários apps de forma simultânea. Além disso, seria interessante se a Apple tivesse criado um teclado virtual menor para o iPad Mini. Mas, é possível dividir o teclado, e transformar ele em um formato menor flutuante, que pode ser reposicionado e usado com apenas uma das mãos.

iPad Mini 6 ganha muito com acessórios

Unindo o seu processador que oferece ótimo desempenho em um tamanho tão compacto com as ferramentas multitarefa do iOS 15, o iPad Mini se torna o companheiro ideal para ser usado com um teclado e um mouse sem fio.

Estamos falando de um tablet que cabe até no bolso (desde que um bolso grande), mas pode ser usado com um computador a qualquer momento ou lugar. Não é um exagero, basta tirar ele da mochila com um mouse e teclado Bluetooth para conseguir realizar praticamente qualquer tarefa de trabalho.

Na minha experiência específica com o iPad Mini 6, eu acabei usando menos o mouse, e mais o teclado. Ir diretamente na tela caso eu precisasse posicionar o cursor fez mais sentido para mim. Ainda acho meio estranho usar o mouse no iPad OS, e como a tela do iPad Mini é bem pequena e fica próxima do teclado, dá para usar ela perfeitamente com os dedos.

Fica faltando um case com teclado, mas a Apple não deve ter chegado em uma boa solução de design para lançar esse tipo de acessório. Com sua capa Folio, o iPad Mini fica posicionado em um ângulo confortável. Assim, fica fácil escrever textos longos, como o desse review. Essa é a tarefa que eu mais faço no meu trabalho, e o iPad Mini 6 se saiu muito bem nela.

Eu não testei o iPad Mini 6 com o Apple Pencil, mas mesmo assim, adorei a possibilidade de poder deslizar o dedo da parte inferior direita para dentro para abrir o bloco de notas, e o melhor de tudo, com ele aberto, é só fazer o mesmo movimento para criar uma nova nota, e assim, poder lembrar de tudo o que você precisa.

Para mim, o combo iPad Mini mais um teclado Bluetooth foi realmente perfeito, e eu poderia tranquilamente seguir produzindo meus textos e reviews com essa configuração, como, aliás, fiz muitas vezes nos últimos meses com esse dispositivo.

Preço acaba sendo o maior problema

O novo iPad Mini custa a partir de R$ 5.875, na versão com 64 GB de capacidade, mas passa para R$ 7.391 com 256 GB. Quem preferir o modelo 5G vai pagar mais caro, R$ 7.391 com 64 GB ou R$ 8.908 com 256 GB.

Ele foi lançado um pouco mais caro, mas os preços foram reduzidos pela Apple. Vale citar que no momento em que gravamos o vídeo desse review, eles ainda estavam custando um pouco mais.

Vale citar que esses são os preços oficiais da Apple, mas em outras lojas você pode comprar o iPad Mini 6 bem mais barato, com ótimas ofertas. Confira os links no final desse review.

Seu custo é o maior empecilho para quem quer a usar esse excelente, ainda que pequeno, tablet da Apple. Mas, se isso não for um problema para você, podemos dizer que o iPad Mini 6 entrega praticamente tudo o que promete, especialmente no desempenho.

Conclusão

O iPad Mini é um tablet adorável, com o tamanho ideal para ser levado não só na mochila, mas também no bolso, ainda que um maior que o normal. Assim, você pode ter um pequeno computador com você a qualquer momento, o que um grande valor. Além disso, com um mouse e um teclado Bluetooth ele se torna um acessório perfeitamente funcional para anotações e até textos maiores.

Ele também brilha durante a noite, pois é leve e pequeno o suficiente para ler livros e quadrinhos. Da mesma forma, seu formato é ótimo para navegar pela internet, usar o Twitter, Instagram, TikTok, etc. A duração da bateria pode não ser a melhor, mas tem dura bastante para usuários casuais, ainda que fique devendo para os mais entusiastas.

Além da bateria, e possivelmente da taxa de atualização da tela, seu único outro defeito é o seu preço, mas mesmo assim, acredito que o iPad Mini tenha seu público, os que procuram um tablet compacto para diferentes usos.

Nossa Avaliação
Nota Final 9.0
  • Tela
    8.5
  • Bateria
    8.0
  • Desempenho
    10.0
  • Design
    10.0
  • Sistema/Interface
    9.5
  • Câmeras
    8.5
  • Conectividade
    10.0
  • Som
    8.0
iPad Mini 6
Kabum
iPad Mini 6
Casas Bahia
iPad Mini 6
Ponto
iPad Mini 6
Extra