Segundo o The New York Times, a Amazon está planejando iniciar, ainda nesta semana, demissão de cerca de dez mil funcionários de cargos corporativos e de tecnologia.

Os desligamentos seriam centrados na unidade de dispositivos que abriga a assistente de voz da empresa de Jeff Bezos, a Alexa, além da divisão de varejo e recursos humanos. Contudo, a quantidade de empregados a ser dispensada pode ser outra.

publicidade

Leia mais:

Em um ano, essa unidade da Alexa registrou prejuízo operacional de mais de US$ 5 bilhões para a Amazon. A Reuters pediu explicações da companhia, mas não obteve respota.

O NYT indicou que as dez mil pessoas que podem deixar a empresa compreendem cerca de 3% de sua equipe corporativa. Recentemente, a gigante do varejo havia comunicado o congelamento na contratação de funcionários para esta área.

Baixas vendas

A Amazon pode estar fazendo o movimento após comunicar desaceleração no crescimento de suas vendas no fim de ano, época em que mais costuma realizar vendas. O argumento da empresa de Jeff Bezos é que consumidores e empresas estão com menor poder de compra graças à inflação.

Crise na tecnologia

A empresa da assistente de voz Alexa é mais uma no meio a querer dispensar colaboradores em meio à crise. Na semana passada, foi a Meta que liberou mais de 11 mil pessoas. Twitter (com grande corte a pedido de Elon Musk), Microsoft e Snap fizeram o mesmo.

A Amazon perdeu em torno de 40% de seu valor de mercado em 2022 até o momento.

Com informações de UOL

Imagem destacada: Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!