O Google Chrome é o navegador mais popular do mundo, tendo mais de 50% dos usuários, segundo um relatório do Statista publicado em dezembro de 2022. Já o Microsoft Edge aparece com apenas 6% da preferência, mesmo estando no mercado desde 2015.

Ambos os navegadores web são baseados no mesmo código-fonte: o Chromium. Por isso, os dois programas funcionam de forma parecida, contando apenas com algumas diferenças pontuais entre eles. Nas linhas a seguir, o Olhar Digital vai comparar os softwares para que você decida qual é o melhor navegador: Chrome ou Edge.

publicidade

Leia também:

Design

No quesito design, o Chrome e o Edge são praticamente idênticos, pois se baseiam no mesmo código-fonte: o Chromium. Alguns ícones têm formato diferente, mas a posição dos botões, assim como os comandos, são iguais. Trocar de navegador entre os dois não é um desafio, visto que é possível importar as configurações e preferências de um para o outro sem problemas.

Computador exibindo a tela inicial do Google Chrome
Google Chrome Créditos: Shutterstock

A maior diferença entre eles é a página de busca padrão. Enquanto o Chrome utiliza o Google para apresentar resultados, o Edge usa o Bing — buscador da Microsoft. Isso, porém, pode ser alterado livremente nas configurações de ambos os navegadores com apenas alguns cliques.

Desempenho

Graças ao Chromium, os dois navegadores também são bastante parecidos em desempenho. Ambas as opções são muito rápidas e carregam qualquer página sem problemas. Alguns testes de benchmark apontam que o Chrome é minimamente mais rápido, mas a diferença não é perceptível no uso do dia a dia.

O Microsoft Edge tem uma pequena vantagem: o uso de memória RAM. Por utilizar menos recursos que o Chrome, o navegador padrão do Windows exige menos memória RAM para manter o mesmo número de abas abertas. Isso é útil para pessoas que têm computadores menos potentes ou gostam de realizar muitas tarefas ao mesmo tempo com o navegador aberto

Microsoft Edge
Imagem: Wachiwit/Shutterstock

Recursos exclusivos

Apesar de ambos os navegadores serem baseados em Chromium, há alguns recursos exclusivos de cada um. O Edge, por exemplo, permite agrupar abas e dar nomes a esses grupos. Além disso, é possível exibir as abas na vertical e até ativar uma barra lateral que traz informações úteis, como notícias, previsão do tempo e e-mails. O Microsoft Edge também conta com funções de leitura em voz alta e sugestão de texto.

O Chrome, por outro lado, tem integração facilitada com todo o ecossistema do Google, simplificando o uso para quem também utiliza Gmail, Google Docs, Google Drive, Google Maps, entre outros aplicativos. Essa integração também ajuda a usar o navegador em celulares Android.

Extensões

Uma das grandes vantagens do Chromium é que todas as extensões desenvolvidas para o Chrome funcionam no Edge sem qualquer limitação, e vice-versa. Apesar de não compartilharem a mesma loja de extensões, é possível instalar os programas de maneira externa a qualquer momento.

Imagem: Shutterstock

Segurança e privacidade

Neste ponto, o Edge apresenta mais opções de privacidade e segurança do que o Chrome. Por exemplo, o Edge pode bloquear rastreadores de sites que você visitou e de portais que nunca acessou. Isso reduz bastante o risco dos dados pessoais dos usuários vazarem. O Edge também utiliza o Microsoft Defender SmartScreen para bloquear sites potencialmente perigosos.

Enquanto isso, o Chrome somente bloqueia cookies de terceiros de forma nativa. Se você quiser acessar configurações mais detalhadas de privacidade, é necessário investigar os menus no navegador a fundo. Por isso, para o usuário padrão, o Edge tende a ser uma escolha mais segura.

O que é melhor: Chrome ou Edge?

Em conclusão, os dois navegadores são praticamente idênticos. Escolher o melhor entre os dois depende de preferências pessoais do usuário. Porém, o Edge sai na frente quanto o assunto é desempenho e privacidade. Quem gosta de jogar também deve preferir o navegador da Microsoft, já que deixá-lo aberto não consome tanta memória RAM quanto o Chrome.

Imagem principal: Shutterstock.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!